Saldo de empregos com carteira assinada na Paraíba cresce 30% em agosto, revela Caged

0
38

Foto: Reprodução/Internet

A Paraíba apresentou a maior variação relativa de empregos com carteira assinada do País no mês de agosto deste ano. É o que revela o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, divulgado nesta segunda-feira (2). Os dados mostram ainda que o saldo de agosto deste ano cresceu 30,37%, em relação ao mesmo período do ano passado.

Entre as 26 Unidades Federativas e o Distrito Federal, o Estado da Paraíba apresentou alta de 1,95% sobre o seu estoque de empregos formais, após alcançar em agosto um saldo de 8.782 postos, resultado da diferença das 17.447 vagas criadas contra os 13.970 desligamentos. Conforme os dados do Ministério do Trabalho, o estoque de empregos formais nos cinco setores (serviços, comércio, agropecuária, indústria e construção) do Estado da Paraíba atingiu 459.356 postos no mês de agosto. Os estados do Rio Grande do Norte (1,28%) e do Amapá (1,24%) vieram na sequência entre as maiores variações relativas do País.

Além de acima dos Estados, a Paraíba teve também maior variação relativa de emprego se comparada à média das cinco regiões do País: Nordeste (0,89%), Norte (0,84%), Centro-Oeste (0,46%), Sudeste (0,45%) e Sul (0,28%).

SETORES QUE MAIS DESTACARAM – Em agosto, todos os setores tiveram saldo positivo, sendo que três deles se destacaram em volume de empregos: agropecuária (2.690), indústria (2.526 vagas), serviços (2.255 vagas). Os outros dois setores completaram o saldo do mês: construção: (795 vagas) e comércio (142 vagas).

SALDO DE AGOSTO CRESCE 30% – O saldo de agosto deste ano foi o melhor do ano de 2023 da Paraíba e, quando comparado ao saldo de agosto do ano passado, houve expansão 30,37%. Em agosto de 2022, a Paraíba havia gerado um saldo de 6.736 postos contra 8.782 de agosto deste ano, o que representou um acréscimo de 2.046 postos, alta de 30,37%. No acumulado de janeiro a agosto, a Paraíba acumula um saldo de 9.042 postos de trabalho, resultado dos 134.858 empregos criados contra 125.816 desligamentos.

CENÁRIO REGIONAL – A região Nordeste apresentou o segundo saldo positivo de agosto (63.774 postos), ficando atrás apenas da Região Sudeste (100.0065 postos), que liderou o saldo entre as cinco regiões no mês de agosto. As outras três regiões vieram depois: Sul (22.831), Centro-Oeste (17.877), Norte (17.852). Em agosto, o Brasil abriu 220.884 vagas de trabalho formal.