ALPB debate escassez da água, desenvolvimento e descentralização dos órgãos estaduais para o Sertão

0
345

A Frente Parlamentar em Defesa do Sertão Paraibano da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou audiência pública, na tarde desta segunda-feira (21), para discutir a escassez da Água, desenvolvimento do Sertão e a descentralização dos órgãos estaduais nas cidades sertanejas. O evento, proposto pelo deputado Gilberto Tolentino (Gilbertinho), reuniu parlamentares e especialistas em Turismo e Administração Pública.

O deputado Gilbertinho, que preside Frente, destacou que nessa primeira audiência pública se debateu um tema de fundamental importância par a região, buscando alternativas para desenvolver o estado através de vários meios como o turismo, como a educação, a saúde, o emprego, a renda. “Essa frente parlamentar que tem o intuito de agregar vários segmentos para que o Sertão possa se desenvolver, como exemplo, a duplicação da APB 2005, como a transportação do São Francisco, mais postos da UEPB para cidades regionais e vários outros temas que são de importante relevância para a nossa região”, disse.

O turismólogo Sillvonetto Oliveira, da Secretaria Muncipal de Turismo de Sousa-PB e consultor em Planejamento Turístico, disse que é importante pensar o desenvolvimento onde experiências sustentáveis sejam colocadas em prática e que sejam contempladas pelas políticas públicas. É justamente nesse contexto, segundo ele, “onde entra o turismo, por ser uma atividade econômica e de relevante interesse social que traz benefícios na qualidade de vida das pessoas e que seu desenvolvimento seja pensado dentro dessa perspectiva de práticas sustentáveis”.

O advogado e escrito Héber Tiburtino Leite ressaltou que os consórcios públicos são um instituto constitucional, onde os municípios buscam, através de seus entes consorciados, a melhoria dos serviços públicos, em especial saúde, educação, infraestrutura, gerando desenvolvimento. “A efetivação desses consórcios públicos no âmbito dos municípios sertanejos faz com que os serviços cheguem de forma mais efetiva, mais plena e capaz, e acima de tudo, traz economia aos cofres públicos, fazendo com que esses entes municipais se envolvam, se engajem, se formalizem”, observou.

“Ao mesmo tempo, nós buscamos porque a Assembleia Legislativa, através desses nobres parlamentares, em especial os deputados estaduais do Sertão, possam efetivar de forma mais eficaz as leis que criaram as regiões metropolitanas”, acrescentou.

O deputado André Gadelha afirmou que “não se pode pensar no desenvolvimento do estado da Paraíba sem ter um olhar diferenciado para o Sertão, agora que a região recebe as águas do Rio São Francisco”. Ele destacou a importância dos recursos hídricos para a região crescer, gerar emprego, e se desenvolver. “Essa discussão trará visibilidade de toda a Paraíba, como também refletirá para o Nordeste. Enfim, esssa discussão trará, desenvolvimento, geração de emprego, geração de renda e mostrar o que nós temos de mais forte na Paraíba, que é o agronegócio”, frisou.

O deputado George Moraes disse que a discussão “é mais uma iniciativa importante da Assembleia possa debater temas como segurança hídrica, abastecimento d’água, vocações econômicas do Sertão, como as energias renováveis”. “Também podemos discutir melhorias na prestação dos serviços, descentralizando aquilo que funciona majoritariamente em João Pessoa, em Campina Grande, para que a gente possa levar para todo o nosso Sertão e, consequentemente, melhorar a vida do nosso irmão paraibano”, disse.

O deputado Wilson Filho ressaltou que já faz muito tempo que as pessoas acordaram para aquilo que o Sertão realmente representa. “Não apenas um povo aguerrido, mas uma região rica. Uma região rica de sol, o que antes era um problema e agora é a solução. Uma região rica de tantas e tantas outras coisas. Portanto, essa frente tem um papel primordial para que o Sertão nunca deixe de estar entre os assuntos debatidos nessa Casa”, finalizou.