Vila Nova e Londrina decide Brasileiro da Série C

0
1384

O Vila Nova-GO garantiu sua vaga na decisão do Campeonato Brasileiro da Série C ao eliminar o Brasil, de Pelotas (RS), na cobrança de pênaltis, por 4 a 3, depois de empatar sem gols no tempo normal. Agora vai decidir com o Londrina, que eliminou o Tupi, o título da temporada. Além dos finalistas, Tupi e Brasil, também já tinham garantido o acesso para a Série B em 2016. Foram cobrados sete pênaltis para cada lado, com sete penalidades desperdiçadas.

Este jogo foi disputado, nesta segunda-feira à noite, no estádio Serra Dourada, em Goiânia, com a presença de 25.045 pagantes e para uma renda de R$ 207.500,00. As datas e horários das finais serão definidas pelo departamento de competições da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), nesta terça-feira, no Rio de Janeiro (RJ). O primeiro jogo será em Londrina, que somou 34 pontos, contra 41 do Vila Nova, que vai decidir em Goiânia.

Com a presença maciça de sua torcida a expectativa é de que o Vila Nova fosse para cima do Brasil. Mas isso não aconteceu. Os dois times foram cautelosos, criaram poucas chances de gols e não mereceram sair do zero. Por isso, tiveram que arriscar a sorte e o lado psicológico na cobrança de penalidades máximas.

OS PÊNALTIS
O time goiano começou a bater com Robston, que deslocou Eduardo Martini. O lateral Xaro tentou chutar com força, mas mandou a primeira cobrança gaúcha para fora. Na segunda série, o artilheiro Frontini, artilheiro do time com nove gols, chutou colocado, mas Martini caiu di lado direito e defendeu. A chance de deixar tudo igual ficou nos pés de Gustavo Papa, que não desperdiçou: 1 a 1.

A terceira série começou com Ramires, que chutou para fora, dando a chance do Brasil ficar na frente. Galhardo foi lá, chutou forte e Edson espalmou. Igualdade ainda. O experiente Baiano, de 42 anos, tomou enorme distância, mas deslocou Martini com categoria: 2 a 1 para o Vila. Washington bateu por baixo da bola e isolou sobre o travessão. A decisão ficou nos pés do lateral Marinho Donizete, mas chutou no travessão. Ficou para Jardel a responsabilidade de empatar a série inicial de cinco cobranças. E converteu, deixando 2 a 2.

A partir daí começou a série alternada. Vitor, que completou 200 jogos pelo Vila Nova, foi com moral para a penalidade e fez ao deslocar o goleiro. Devolveu a responsabilidade para o clube gaúcho com Brock, que deslocou Edson. A sétima batida começou com Bruno Lopes que chutou forte, a bola ainda tocou nas mãos de Martini, porém, entrou. Por fim, o Brasil perdeu com Wender, que chutou forte, a bola explodiu no travessão e saiu. Festa no Serra Dourada.

TUDO ZERO A ZERO
O fato coincidente nestas semifinais é que os quatro jogos terminaram empatados e sem gols. Tupi e Londrina empataram em Juiz de Fora (MG) no estádio Mário Helênio e depois no estádio do Café, no norte do Paraná. Só nos pênaltis o time paranaense levou vantagem: 5 a 3.

Futebol Interior