Início Notícias Série D: Goleiro do Operário e Acostumado a defender pênaltis

Série D: Goleiro do Operário e Acostumado a defender pênaltis

636
0

Ponta Grossa, PR, 05 (AFI) – O goleiro Paulo Sérgio foi o grande responsável pela classificação do Operário Ferroviário para a fase decisiva do Campeonato Brasileiro da Série D. Na tarde deste domingo, no estádio Amigão em Campina Grande, uma festa já estava armada, aguardando que os donos da casa, Campinense, conseguissem avançar na competição.

Durante toda a semana o clima bélico se fez presente, provocações e ameaças entre torcidas, debates de alguns membros da imprensa deram a tônica da partida de volta, após vitória alvinegra em Ponta Grossa por 1 a 0. O escore foi devolvido pelos mandantes. Com isto, a disputa de quem seguiria sonhando com o acesso para a Série C foi para a marca da cal. Frio e concentrado, a estrela do número 1 paranaense brilhou, com duas cobranças defendidas e o gol decisivo.

“Graças a Deus fui feliz e ajudei o time nesta classificação. O grupo está de parabéns pela postura durante os 180 minutos. Sabíamos das dificuldades. Temos que comemorar de forma categórica, mas sermos conscientes de que não ganhamos nada ainda. Restam duas batalhas para um sonho. Sou do Pará, saí de Belém na adolescência, então conheço a força do Remo. Seguiremos trabalhando forte para mais uma missão nesta guerra que é a Série D”, afirmou.

Paulo Sérgio defende pênaltis e classifica Operário-PR em cobrança

Paulo Sérgio defende pênaltis e classifica Operário-PR em cobrança

Em 2012, defendendo as cores do Caxias, Paulo Sérgio participou de uma semifinal de Campeonato Gaúcho contra o Grêmio, dentro do estádio Olímpico. Na ocasião defendeu a última cobrança tricolor e marcou em cima do goleiro Victor o tento que garantiu seu clube na final do turno. Na sequência repetiu o fato diante do Novo Hamburgo e, posteriormente, na Copa Pantanal, que culminou com o título contra o Cuiabá. Nada que tire a serenidade do mais novo destaque do Fantasma.“Cheguei aqui agora. Temos um grupo unido. Vim para somar e está dando certo. Não sou mais do que ninguém. Faço o meu trabalho e gosto de disciplina. O homem precisa disso. Um time vencedor necessita ter consciência de que sozinhos não chegamos lá, mas se unirmos as forças internas de cada um em prol do objetivo, torna-se possível. Realmente fui abençoado lá no Caxias em três decisões também. Porém, para mim agora o que mais importa é o próximo confronto. Assim como para os demais companheiros do Operário. É retornar para casa. Saber onde erramos no jogo com a Campinense e procurar melhorar para o cruzamento com o Remo, adversário de tradição no futebol brasileiro”, finalizou

por Agência Futebol Interior

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here