João Azevêdo participa de homenagens pelos 77 anos do DER e destaca importância do órgão no desenvolvimento do Estado

0
193

Fotos: José Marques

O governador João Azevêdo participou, na manhã desta segunda-feira (26), no Teatro Paulo Pontes do Espaço Cultural, em João Pessoa, da solenidade de comemoração pelos 77 anos do Departamento de Estradas de Rodagem da Paraíba (DER-PB), cujo ponto alto foi o lançamento do livro “Trilhas, Veredas e Caminhos — Interligando Vidas”, que conta momentos importantes da história paraibana por meio de obras fundamentais no desenvolvimento socioeconômico do Estado.

Durante a solenidade, prestigiada também pelo vice-governador Lucas Ribeiro e pela primeira-dama do Estado, Ana Maria Lins, João Azevêdo agradeceu o empenho dos servidores e destacou a importância do DER no desenvolvimento da Paraíba. “Nós estamos celebrando uma data importante — 77 anos de um órgão que tem uma identidade com a Paraíba, que levou desenvolvimento para o Estado. O DER tem associado a sua história exatamente o desenvolvimento da Paraíba, porque estrada traz desenvolvimento, interliga cidades, promovendo qualidade de vida das pessoas que vivem nelas”, comentou, lembrando os mais de R$ 2 bilhões em projetos em execução, a exemplo do Arco Metropolitano de Campina Grande e o Programa Travessias Urbanas, que tem mudado a realidade de dezenas de municípios paraibanos, levando qualidade de vida à sua população.

A solenidade foi marcada por homenagens tanto a colaboradores do livro, como os jornalistas e escritores Juca Pontes e Martinho Moreira Franco (em memória), quanto ao servidor Antônio Pereira Sales, este também falecido recentemente aos 104 anos de idade.

Atuando como topógrafo do DER-PB, Antônio Pereira Sales dedicou mais de 35 anos ao órgão dos 104 de vida, conforme ressaltou em seu discurso Ana Maria Lins, filha do servidor considerado exemplar. “Há poucos dias, Antônio Pereira Sales foi ao encontro do Criador do Universo, mas deixou a sua marca na terra, tendo passado pelo desenvolvimento da Paraíba: desbravou terras e abriu caminhos. Profissional dedicado e amante das estradas, ensinou muitos a também abrirem novos caminhos, em especial o governador João Azevêdo, a quem tinha como filho”, disse.

Para o secretário estadual da Infraestrutura, Recursos Hídricos e Meio Ambiente, Deusdete Queiroga, o livro sobre os 77 anos do DER é um registro de resultados. “É uma obra que aborda muita dedicação dos servidores deste importante órgão para a Paraíba, mas também resultados. E o DER tem apresentado resultados importantes, executando um programa rodoviário da ordem de dois bilhões de reais. Então, são 77 anos de dedicação à Paraíba”, comentou.

O atual superintendente do DER, Carlos Pereira, está no órgão desde novembro de 1952. “É um momento de muita felicidade estar dirigindo um órgão tão importante quanto o DER aos 84 anos, mas também de muita responsabilidade, haja vista o volume de obras em execução no governo de João Azevêdo”, comentou.

O presidente da Associação Brasileira dos Departamentos de Estradas de Rodagem (ABDR), Fauzi Nacfur, elogiou o ritmo de atuação do DER-PB. “É uma emoção estar aqui hoje. A gente sabe que o Departamento da Paraíba é um dos mais atuantes em termos de Brasil, e eu não poderia deixar de prestigiar os 77 anos do DER, de seu Carlos Pereira, um ícone no País”, comentou.

A solenidade de comemoração dos 77 anos do DER foi prestigiada, ainda, pelos deputados estaduais João Gonçalves, que representou a Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), e Lucélio Cartaxo; pelo prefeito do município de Ingá, Robério Burity; e por José Willian Montenegro, secretário de Planejamento de João Pessoa, que representou o prefeito Cícero Lucena. Representantes de associações de classe ligadas à mobilidade urbana também estiveram presentes à solenidade.

A obra – As 288 páginas do livro “Trilhas, Veredas e Caminhos — Interligando Vidas” trazem de maneira leve parte importante da história paraibana por meios das obras executadas pelo DER-PB ao longo de suas quase oito décadas de existência. De maneira informativa, com relatos, entrevistas e imagens, a obra retrata, antes de tudo, a história do crescimento estrutural, social e econômico da Paraíba sob o olhar dos servidores do DER, todos com seus nomes escritos na obra.

O editor-geral do livro, Fernando Moura, destacou a leveza do livro que traz a história de um órgão que usou números, a precisão, no desenvolvimento da Paraíba. “Este livro durou cinco anos em sua elaboração — levando em conta pesquisa, redação, levantamento fotográfico, revisão, edição e impressão. É um livro que abrange não apenas a história do DER, como a história da Paraíba. Foi pensado de maneira que se tenha fluência na leitura, para que as pessoas sintam prazer na leitura”, disse.

Uma equipe de jornalistas, formada pelos editores Fernando Moura e Juca Pontes (em memória), Silvana Sorrentino, Bia Melo, Gonzaga Rodrigues e Martinho Moreira Franco (em memória) relatam a trajetória do DER que nasceu com a missão de desbravar matas e caminhos, criar pontes e acessos, construir estradas, tirar municípios do isolamento social e econômico, mas, sobretudo, interligar vidas. Esse livro promete relembrar e contar os feitos do DER, eternizando a sua história.

O DER-PB foi criado no Governo do Interventor Federal na Paraíba, Odon Bezerra Cavalcanti, em 26 de junho de 1946, por meio do Decreto Lei n.º 832, em decorrência da Lei Joppert, que instituiu o Fundo Rodoviário Nacional. Tinha a forma jurídica de autarquia e estava subordinada à extinta Secretaria de Viação e Obras Públicas. O engenheiro Serafim Rodriguez Martinez foi o fundador e também o primeiro Diretor Geral do DER.

“O prédio onde funciona a sede do DER é considerado o melhor edifício público construído nas últimas décadas no Estado e no Nordeste. Concebido pelo arquiteto Leonardo Stuckert, autor do projeto original, foi inaugurado no dia 9 de agosto de 1967. A obra foi executada por administração direta, na gestão do engenheiro José Carlos Dias de Freitas (1961/1969), por uma comissão composta pelos engenheiros Luiz Alvares Coelho, Hélio Gomes Magalhães e Carlos Pereira de Carvalho e Silva, além do mestre de obras José de Souza – todos servidores efetivos do órgão. O edifício-sede do DER-PB foi inaugurado oficialmente pelo então presidente da República, general Costa e Silva, acompanhado de ministros de Estado e do então governador da Paraíba, João Agripino” (trecho retirado do Livro Trilhas, Veredas e Caminhos – Interligando Vidas).