Em 2024, finais da Copa do Nordeste serão somente em arenas, diz Presidente da FPF-PE

0
462

Foto: Divulgação/arenadunas.com.br

O Presidente da Federação Pernambucana de Futebol, Evandro Carvalho disse, em entrevista ao NE45, que as finais do Nordestão só serão realizadas em Arenas a partir de 2024. De acordo com o mandatário, o regulamento da competição regional contará com esta determinação já no ano que vem.

Em 2023, com a decisão entre Ceará e Sport, a primeira partida foi realizada na Arena Castelão, enquanto a volta aconteceu na Ilha do Retiro. Segundo Evandro, o fato de o jogo final ter acontecido em um estádio que não é arena não agradou a CBF, entidade que organiza o Nordestão.

Assim, a partir do regulamento de 2024, a CBF, segundo o mandatário da FPF, terá autonomia para determinar que as finais sejam em arenas – isso, claro, nos estados que possuem.

“A CBF ficou muito contrariada com a final na Ilha, foi um transtorno enorme para segurar aquele público, com problemas de venda de ingressos. Não tem condições. Final tem que ser em Arena. Não faz sentido você fazer um jogo de final podendo ter 50 mil pessoas e ter 30 mil, com um por cima do outro, uma confusão”, disse o mandatário.

“Prejudica os patrocinadores, porque na Arena tem um nível qualidade, e em um estádio menor tem outro. E agora vai estar no regulamento (a partir de 2024): somente em Arenas. A CBF gastou R$ 80 milhões e aí, na cereja do bolo, vai fazer a final em um estádio menor? Essa besteira de dizer que estádio ganha jogo é bobagem. Estádio não ganha jogo, não entra em campo”, completou o dirigente.

Se houvesse esta determinação já em 2023, por exemplo, a partida de volta da Copa do Nordeste teria sido na Arena de Pernambuco, e não na Ilha do Retiro.

Na partida de volta da final do Nordestão, que contou com público divulgado de 26.345, capacidade máxima da Ilha do Retiro atualmente, centenas de torcedores do Sport ficaram de fora – mesmo com ingresso na mão.

Um dia após a final do Nordestão, o Sport emitiu nota e informou que iria ressarcir os rubro-negros que não conseguiram entrar na decisão.

Cerca de dez dias depois da final, em entrevista à Rádio Clube de Pernambuco, o presidente do Sport, Romão, disse que esses rubro-negros que foram impedidos de entrar na Ilha do Retiro foram vítimas de alguns que tentaram invadir o estádio sem ingresso, o que fez a Polícia Militar fechar os portões.

“Foi uma festa belíssima dentro do estádio, diria até que jamais vista dentro de Pernambuco. Não tivemos nenhum incidente, salvo algumas questões com a torcida visitante, que boa parte não veio para torcer, veio para irritar e buscar confronto com a nossa torcida. Mas centenas, não vou entrar na casa dos milhares, embora não me surpreenderia se fosse milhares, mas centenas de pseudo-torcedores querendo invadir a Ilha. Foi quando a Polícia Militar, de forma diligente, mandou fechar os portões. E diria que até acertadamente”, disse Yuri Romão sobre a final do Nordestão.

Por Lucas Holanda

NE 45