Diretor de futebol do Campinense renuncia

0
772

Na tarde desta quarta-feira, o diretor de futebol do Campinense Clube, Rômulo Farias, em carta renuncia endereçado ao presidente do Conselho Deliberativo, José Antonio Trajano Vasconcelos, e aos torcedores Raposeiros,  pediu o desligamento do Clube.

AO ILMO. SR. PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO DO CAMPINENSE CLUBE

CARTA RENÚNCIA

“O Campinense Clube faz parte da minha vida desde sempre, desde criança. Em dezembro de 2020, recebi o convite de Phelipe Cordeiro para contribuir no resgate da instituição quando ninguém mais acreditava.

A missão de servir o Campinense, como diretor de futebol, é uma verdadeira batalha. É preciso um nível alto de doação. A exposição que você passa a ter é grande. Principalmente uma pessoa comum como eu, que veio da arquibancada. Esse tipo de cenário até assusta um pouco, mas a única resposta é por conta do amor pelo clube.

Mesmo com todas as dificuldades encontradas, um clube sem receitas, sem credibilidade e com um mar de dívidas, tivemos uma temporada de 2021 vitoriosa, com o título paraibano e o acesso à série C, garantindo calendário e receita para a construção de um planejamento minimamente estruturado para a temporada de 2022. Conseguimos renovar com a comissão técnica e com mais de 70% do elenco de atletas vencedores, campeões e que, naturalmente, foram valorizados financeiramente. Renovações que foram bastante comemoradas pelo torcedor e foram aprovadas pela imprensa esportiva. Também investimos financeiramente na contratação de peças pontuais para qualificar ainda mais o nosso elenco para a disputa do estadual e da série C do Campeonato Brasileiro.

De cara, uma conquista histórica no Campeonato Paraibano. Bicampeão Paraibano! Título alcançado de forma invicta pela primeira vez na história do clube. Iniciamos a série C com duas vitórias seguidas, mas infelizmente a sequência do campeonato não ocorreu de acordo com o que foi planejado. Fizemos o que tinha ao nosso alcance. Perdemos noites e noites de sono buscando soluções. Mudamos a comissão técnica, contratamos novos jogadores, mas infelizmente não conseguimos manter o clube na terceira divisão. Tenham a certeza que sempre houve vontade de acertar, mas nem tudo acontece como a gente quer e planeja. Como ser humano, cometi erros. Porém, tenho a consciência tranquila que sempre busquei acertar. Muitos ouvem dizer sobre o tamanho dos nossos desafios, mas poucos, pouquíssimos os conhecem a fundo…só se sabe, quando se ocupa um cargo como esse.

Não poderia deixar de pontuar os avanços realizados no Departamento de Futebol do Campinense entre 2021 e 2023. Construímos uma sala multiuso, usada para reuniões, palestras, preleções, entre outras atividades, além de uma sala para o setor de Análise de Desempenho, construída em anexo à sala da Comissão Técnica. Espaço onde os profissionais estabelecem processos e metodologia em relação à prospecção e captação de jogadores, bem como observação do adversário e da própria equipe, buscando potencializar aquilo que a comissão técnica está desempenhando durante os treinamentos e jogos. Sem contar na reestruturação que realizamos no Departamento Médico do clube, em parceria com o Diretor Médico Fábio Gondim. Tudo isso graças a um planejamento orçamentário e organização financeira que foram prioridades das últimas gestões administrativas do Clube.

Contudo, as conquistas, as mudanças estruturais e a profissionalização na gestão do futebol me fizeram conhecer um lado amargo da política interna do clube que sinceramente eu não conhecia e nem tão pouco gostaria de conhecer. Críticas diárias de algumas pessoas que se dizem torcedores do Campinense, mas que só fazem atrapalhar, torcer contra e plantar crises.

Por fim e com muita humildade, gostaria de pedir desculpas pelo meu temperamento forte. Sei o quanto isso me atrapalhou. Em relação ao episódio com o gandula Grabriel, gostaria também de me desculpar e de dizer que me sinto arrependido. Foi uma reação involuntária aos xingamentos que ouvi dele, mas sei que nada, absolutamente nada justifica a agressão. O torcedor tem direito de não gostar de mim. Não reclamo. É legítimo. Agora, eu sempre quis o melhor para o Campinense! Qual a lógica de eu perder convívio familiar, tempo profissional e momento de lazer? Só acho injusto as diversas ameaças, inclusive, à minha família.

Assim, em virtude do conturbado momento, após muita reflexão, informo que estou renunciando ao cargo de diretor de futebol do clube. Esta é a melhor decisão para mim e para a instituição.

Finalizo deixando meus votos de sucesso para os demais diretores, funcionários, atletas, comissão técnica, patrocinadores e profissionais de imprensa.

Deixo nesse momento o cargo de dirigente, mas estarei sempre à disposição como torcedor e como colaborador”.

Campina Grande, 14 de junho de 2023.

Rômulo de Freitas Farias (Diretor de Futebol)