Copa do Mundo Feminina: Brasil enfrenta Panamá em estreia

0
338

 

Créditos: Thais Magalhães/CBF

Em busca da primeira estrela, a Seleção Feminina inicia, nesta segunda-feira (24), às 8h (horário de Brasília), diante do Panamá, a jornada na Copa do Mundo Feminina FIFA, no estádio Hindmarsh, em Adelaide (AUS). A partida contará com a transmissão ao vivo da TV Globo, Sportv e Cazé TV.

Esta será a primeira vez que a Canarinho enfrentará as panamenhas, que são uma das oito seleções estreantes nesta edição do Mundial. Na coletiva de imprensa realizada neste domingo (23), a técnica Pia Sundhage comentou sobre o adversário do Brasil na rodada inicial.

“Tenho assistido aos jogos, os treinadores também estão acompanhando, e há tantas partidas que temos analisado nos últimos seis ou oito jogos para entender qual é a abordagem, a estratégia e o estilo de jogo que iremos adotar. Elas têm alguns bons, observem as últimas partidas que elas jogaram. Nós estamos preparados, com certeza. Não importa o que eles vão jogar ou qual formação vão utilizar, nós estamos preparadas”, enfatizou a treinadora, bicampeã olímpica com os EUA e finalista de Copa do Mundo.

No comandoA técnica Pia Sundhage na vitória contra a Alemanha, em abril
Créditos: Thai

Campeã invicta da Copa América no ano passado, a Seleção é uma das poucas equipes que disputou todas as nove edições da principal competição da Fifa. Até agora, a melhor campanha do Brasil em Mundiais foi em 2007, quando o time foi vice-campeão na China. As brasileiras também subiram ao pódio na Copa de 1999, quando venceram a Noruega e ficaram em terceiro lugar. A Seleção também conquistou duas medalhas de prata nos Jogos Olímpicos (Atenas, 2004, e Pequim, 2008).

Trajetória Canarinho

No ciclo de quatro anos, a Seleção Feminina disputou Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, Copa América, além da Finalíssima Feminina, competições que contaram com a participação das equipes mais tradicionais do futebol feminino mundial.  No histórico, a Canarinho soma 33 vitórias, 12 derrotas e 9 empates, além 134 gols marcados e 40 sofridos.

A conquista da vaga para a Copa do Mundo veio após a vitória por 1 a 0 sobre a na final da Copa América. Em seguida, a Seleção enfrentou outros testes, derrotando a África do Sul por 3 a 0 e 6 a 0, além de vencer a Noruega e Itália. Em novembro, encarou o Canadá e, em fevereiro, participou da SheBelieves Cup, garantindo o terceiro lugar. Na Finalíssima, empatou com as donas da casa, a Inglaterra no tempo regulamentar, ficando com o vice-campeonato nos pênaltis. Na mesma viagem, venceu o amistoso com a Alemanha por 2 a 1.

HegemoniaJogadoras da Seleção celebram a conquista da Copa América 2022, disputada na Colômbia
Créditos: Thais Magalhães/CBF

Após a divulgação da lista oficial para o Mundial, a Seleção embarcou para Brasília. Diante de 15 mil pessoas, as Guerreiras do Brasil protagonizaram uma despedida espetacular. Na Arena BRB Mané Garrincha, o Brasil venceu o amistoso contra o Chile por 4 a 0. Os gols foram marcados por Gabi Nunes, Duda Sampaio, Luana e Geyse.

Preparação na Austrália

A delegação chegou na Austrália no dia 4 de julho. Pela primeira vez, a equipe viajou de voo fretado para o país-sede e realizou a preparação na Gold Coast (AUS). No local, o Brasil realizou um período de 14 dias treinamentos e aclimatação.

No dia 18, a equipe seguiu para Brisbane, cidade sede de treinamentos escolhida pela Seleção para a primeira fase da competição, onde permaneceram por quatro dias antes de embarcarem para Adelaide, local da estreia da Canarinho contra o Panamá. Neste domingo (23), após a chegada na cidade, a técnica Pia Sundhage comandou o último treino antes do primeiro duelo na Copa do Mundo.

Retrospecto panamenho

Após vencer quatro jogos na fase preliminar da Concacaf e garantir o terceiro lugar no grupo, o Panamá avançou para a repescagem, onde conquistou uma vitória crucial contra o Paraguai e garantiu a classificação inédita para o Mundial.

Durante a fase pré-Copa, as panamenhas alcançaram duas vitórias importantes sobre a República Dominicana, por 1 a 0 e 4 a 3. Em junho, empataram em 1 a 1 e sofreram uma derrota por 2 a 0 contra a Colômbia. Depois, enfrentaram algumas derrotas em amistosos: 7 a 0 contra a Espanha e 5 a 0 contra o Japão. Contra Gibraltar, o Panamá triunfou, vencendo por 7 a 0.