Desenvolvido porspot_img

Últimas

CMJP comemora 90 anos do Botafogo da Paraíba

A Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) comemorou, na manhã desta quarta-feira (29), os 90 anos do Botafogo Futebol Clube da Paraíba durante sessão especial. O evento proposto pelos vereadores Milanez Neto (PY) e Marcos Henriques (PT) reuniu autoridades, ex-atletas e torcedores do time, que é chamado carinhosamente de Belo.

O vereador Marcos Henriques (PT) afirmou ser torcedor do time e que transmite a cultura de frequentar estádios em jogos para a família. “Gostaria de falar da emoção que sinto nessa manhã em homenagear meu time do coração. Sou torcedor de arquibancada, não falto aos jogos, gosto de sentir a torcida. É uma coisa que meu pai me ensinou e passo para meu filho. O Botafogo é uma grande família e um time apaixonante”, afirmou o parlamentar, exibindo um vídeo com momentos históricos do time e uma seleção de depoimentos de torcedores e ex-atletas relatando as lembranças afetuosas do time.

Marcos Henriques ainda homenageou, com a entrega de uma placa e uma camisa comemorativa, pessoas que representam grande parte do time: sua torcida. “O que seria do Botafogo sem sua torcida? Mesmo diante das restrições sanitárias, não poderia deixar de homenagear pessoas anônimas, mas que têm história com o Botafogo”, afirmou ao agraciar os torcedores Gerson Moraes, Paulo César Soares e Marco Vilarim.

O vereador Milanez Neto agradeceu o investimento feito pela Gestão Municipal no Botafogo. “Gostaria de agradecer ao prefeito pelo trabalho que vem desenvolvendo para fortalecer o Botafogo. É algo que precisa ser registrado, porque o esporte não é apenas uma diversão, salva vidas e muda a história de jovens”, afirmou Milanez Neto, homenageando ainda o vereador Zezinho Botafogo (Cidadania) pela dedicação ao clube. “Vossa Excelência está inserido na história time e na da cidade de João Pessoa”, enfatizou.

“Em um momento importante, no qual as pessoas estão desacreditadas da vida, o futebol alegra e faz sorrir. Essa Casa não poderia deixar de abrir suas portas e homenagear a presidência do clube e sua torcida. É um resgate da autoestima do pessoense e paraibano, que tem um time para alegrar, para chorar e para acreditar em dias melhores”, ressaltou Milanez Neto.

 

Participantes relembram histórias do time

O vereador Odon Bezerra (Cidadania) relembrou sua história com o time enquanto atleta, narrou injustiças praticadas contra o clube na divisão de séries e reafirmou o seu apoio ao time. “Pode ter certeza que todas as matérias que envolvem o Botafogo contam com meu apoio”, afirmou, ressaltando que a “bancada do Botafogo” na Casa une situação e oposição. “O Botafogo faz parte da história de cada um de nós”, afirmou o vereador Emano Santos (PV) destacando que foi finalista do primeiro campeonato juvenil do clube.

O ex-vereador, ex-deputado federal e ex-presidente do Botafogo da Paraíba, Domiciano Cabral, afirmou que desde criança tinha contato com o futebol e com o Belo. Ele relatou que passou momentos difíceis à frente do clube, mas que sempre estará disposto a ajudar o alvinegro. A neta do fundador do clube, Claudete Gomes, também usou a palavra na tribuna da Casa para agradecer a perpetuação do legado do avô Beraldo de Oliveira na história do clube. A professora recitou uma glosa ressaltando a honra de ter tido seu avô como fundador do Botafogo da Paraíba.

Chico Matemático, ex-vereador e artilheiro como atacante do Botafogo, chegou ainda jovem ao time e dedicou parte de sua vida a ele. “Tudo que consegui no Botafogo foi com esforço, muito treinamento e dedicação, e isso me deu esse título de artilheiro”, afirmou. “Tudo o que consegui na vida foi através do Botafogo, porque, sem ele, eu não conseguia estudar. Venho de uma família simples. Consegui terminar o curso de Engenharia, hoje sou engenheiro e isso me deixa muito honrado”, acrescentou.

O início da história do Coronel Sobreira com o Belo é semelhante a algumas contadas durante a sessão. Foi seu avô quem o levou ao Estádio Almeidão. Ele disse que, ao passar pelos arredores, sempre se lembra do percurso que faziam para chegar lá. O parlamentar enfatizou o que a ascensão do Botafogo significa: “São 19 jogos que o Botafogo fará aqui com equipes de outros estados. A cidade vai ser mais vista, o estado vai ser mais visto”. Para ele, o time é mesmo apaixonante e não representa apenas João Pessoa, mas a Paraíba também. Ele também chamou atenção para a importância de se ter o apoio do Governo Estadual à equipe por estar em evidência: “poderia ser Treze, Campinense, não importa, mas hoje é o Botafogo”.

Em nome de todos os ex-presidentes do clube, Zezinho Botafogo falou de sua alegria e satisfação de ver, presentes na sessão, pessoas que fizeram e têm história no clube: Kaio Márcio, Alexandre Cavalcanti, Gleide Costa e Domiciano Cabral, por exemplo. Ele disse, ainda, que o time precisa muito do apoio de todos neste momento.

O historiador Raimundo Nonato fez um resgate da história do clube, que nasceu no cenário da Praça João Pessoa em meio a estudantes secundaristas. Ele ainda criticou o decreto presidencial que mudou os critérios de enquadramento dos clubes participantes do Timemania, jogo de loterias da Caixa Econômica Federal. Segundo ele, essa mudança pode diminuir o repasse de recursos para o clube. “É importante o apoio para acompanhar como será a formalização deste decreto”, alertou.

 

Apoio da Gestão Municipal

Kaio Márcio, secretário de esporte de João Pessoa, afirmou estar feliz por ver tantos vereadores defendendo a causa do esporte. “Fico muito feliz em, através do meu avô [campeão paraibano pelo Botafogo em 1957], poder dar uma contribuição nesses 90 anos de história do Botafogo”, enfatizou. Para ele, o esporte gera momentos de alegria, mas, também, de tristeza e superação. Representando a prefeitura, disse: “Eu, como secretário, estou à disposição para ajudar a melhorar o esporte”.

Por sua vez, o vereador Bosquinho explicou que se sente orgulhoso por esses 90 anos de história porque seu pai, João Bosco dos Santos, foi presidente do conselho deliberativo e assumiu a presidência do clube por alguns meses. Sobre o apoio da prefeitura, o parlamentar afirmou que se trata de um “convênio de duas mãos”, citando o projeto Belo nas Escolas, através do qual, segundo ele, será possível revelar novos craques, tendo o Botafogo como celeiro. “Temos exemplos como Hulk, Matheus Cunha e tantos nomes brilhando no futebol. Por que não o Botafogo ser, como já foi, o protagonista dessa história?”. Bosquinho também disse que uma bandeira que une todos os vereadores na CMJP é a do time, que, segundo ele, serve como “embaixador da Paraíba aonde vai”.

“O que vou falar de história, se a história está aqui? Só tenho a agradecer a vocês”, afirmou Alexandre Cavalcanti, presidente do Botafogo Futebol Clube. De acordo com ele, esses anos de história foram construídos com muita luta, lágrimas, mas também com muitas vitórias. “Após quase dois anos sem público nos estádios, é um verdadeiro presente para o clube ter essa história”. Ele explicou que o secretário Kaio Márcio e o prefeito Cícero Lucena têm dado grande apoio: “Não é apenas estampar o símbolo da prefeitura. Abriremos escolinhas para a rede pública. De lá sairão muitos como Chico, Washington, Magno. Nós podemos fazer isso, podemos mudar essas vidas”. Por fim, Alexandre pediu a união dos 411 mil torcedores do Belo, para que sonhem juntos.

 

Futebol Feminino

A treinadora Gleide Costa falou sobre a luta pelo espaço para o futebol feminino e se disse orgulhosa porque o Botafogo Futebol Clube foi o primeiro, no Brasil, a abraçar a modalidade. “Em nome de todas as atletas, digo que a gente defende o futebol feminino como causa, antes de tudo. Eu fui atleta e posso dizer que senti na pele o quanto foi difícil jogar futebol. Imagina eu, em 1992, querendo jogar futebol!”, explicou.

Gleide destacou, ainda, a importância de associar estudos e futebol: “Muitas das nossas atletas se formam tendo uma bolsa universitária, porque a gente acredita em agregar valores da educação e valores do esporte”.

Crédito: Ascom CMJP

Últimas

Mais Lidas