Após recomendação do Ministério Público, torcidas organizadas do Nacional de Patos poderão ser proibidas de adentrar em estádios

0
97

O Ministério Público da Paraíba (MPPB), através da Comissão Permanente de Prevenção e Combate à Violência nos Estádios, recomendou banir em dias de jogos todas as torcidas organizados do Nacional de Patos. O documento foi assinado pelo coordenador da Comissão, o Procurador de Justiça, Valberto Lira na segunda-feira (14).

Considerando o teor do art. 39-A do Estatuto do Torcedor que prevê que “A torcida organizada que, em evento esportivo, promover tumulto; praticar ou incitar a violência; ou invadir local restrito aos competidores, árbitros, fiscais, dirigentes, organizadores ou jornalistas será impedida, assim como seus associados ou membros, de comparecer a eventos esportivos pelo prazo de até 3 (três) anos”, destacou Valberto Lira no documento.

A recomendação se baseou em um relatório entregue pela Polícia Militar ao MPPB relatando fatos ocorridos no dia 10 de março, durante o jogo entre Nacional e Treze, no Estádio José Cavalcanti, onde o time da casa foi o vitorioso da noite. Nesta ocasião, o 1º Tenente, Eric Marcelino Guedes, comandante da operação, relatou que um membro da torcida organizada do Canário, “Comando Alviverde (CAV)” teria sido preso portando fogos de artifício não permitidos. O fato foi, de acordo com o relatório, comunicado ao delegado da partida.

Além disso, a polícia informou que pessoas não identificadas adentraram ao estádio juntamente com a delegação do Nacional por um portão de acesso por trás do José Cavalcanti. A PM relatou, também, que fogos de artifício foram detonados pela torcida do Nacional. Os tais fogos (foguetões) não eram permitidos. Por fim, foi relatado, ainda que, durante uma vistoria prévia, algumas pedras soltas no local destinado aos torcedores, foram retiradas.

O Nacional tem até 30 dias para apresentar uma defesa duante da medida cautelar publicada pelo Ministério Público.

Nacional de Patos se pronuncia

Em contato com o Interventor do Nacional de Patos, Adilson Silva, o Portal TV Sol foi informado que o Nacional colocou seu assessor jurídico, o advogado Maikon Minervino à disposição das três torcidas organizadas – Comando Alviverde, Naça Chopp e Bravos do Canário – para recorrer da medida do MP. Adilson informou, também, que a torcida em geral continua apta a adentrar aos estádios já que a medida vale apenas para as torcidas organizadas e seus membros devidamente identificados.

Por Portal TV Sol